Complexo solar Sol do Cerrado atinge capacidade máxima de operação em MG

Share

O parque solar Sol do Cerrado, da mineradora Vale, atingiu sua capacidade máxima de operação. O empreendimento que tem 1,4 milhão de módulos fotovoltaicos, 766 MWp de potência e investimento de R$ 3 bilhões é uma das maiores usinas solares na América Latina. O complexo representa 16% da energia consumida pela empresa.

Ao todo são 17 parques solares que compões o complexo Sol do Cerrado localizado em Jaíba, região norte de Minas Gerais. O empreendimento que tem 10,2 milhões de metros de cabos para a condução da energia, possui sistema de rastreamento automático da movimentação do sol durante o dia, o que gera maior aproveitamento da captação solar.

O empreendimento possui linha de transmissão com extensão de 15 quilômetros, tensão de 230 mil volts e  interliga as subestações coletoras Sol do Cerrado e Jaíba, de onde a energia é deslocada para o Sistema Interligado Nacional (SIN).

A Vale no Brasil, que tem emissões de 134 mil tCO2e/ano, pretende atingir suas metas climáticas de reduzir emissões líquidas de carbono em 33% até 2030 e zerá-las até 2050.

“Ao longo dos últimos meses trabalhamos fortemente no ramp-up do projeto, que ocorreu exatamente como o planejado. Ligamos as 17 usinas do parque solar com sucesso e já devemos atingir o pico da produção no próximo verão”, afirma Ludmila Nascimento, diretora de Energia e Descarbonização da Vale.

Durante o período de implementação do complexo, entre 2021 e 2023, 3 mil empregos foram gerados em média com uso de 50% de mão de obra local bem como 01/04 dos fornecedores contratados. Atualmente, o Sol do Cerrado tem cerca de 100 trabalhadores permanentes de diversas áreas.

Este conteúdo é protegido por direitos autorais e não pode ser reutilizado. Se você deseja cooperar conosco e gostaria de reutilizar parte de nosso conteúdo, por favor entre em contato com: editors@pv-magazine.com.