Atlas Renewable Energy e Hydro Rein comissionam o Complexo Solar Boa Sorte, com 438 MW, em Minas Gerais

Share

A Atlas Renewable Energy, especializada em soluções de energia renovável, em parceria com a Hydro REIN, braço de soluções em energia renovável da Hydro, anunciam o início da operação do complexo de usinas solares fotovoltaicas Boa Sorte, em Paracatu, Minas Gerais. O parque, composto por vários projetos, vai fornecer energia limpa para a Albras, produtora de alumínio primário do Brasil, representando cerca de 12% da demanda total de energia da companhia, em um contrato de 20 anos, no período de 2025 a 2044.  Com 438 MW de capacidade instalada, o empreendimento irá gerar um total de 920 GWh anuais, o equivalente a abastecer mais de 394 mil residências.

Boa Sorte é um projeto emblemático por ter sido nosso primeiro PPA de geração de energia limpa para a Albras, que repetiu a parceria em Vista Alegre, ainda em construção.  Com este projeto, quebramos importantes barreiras no setor, como o primeiro empréstimo indexado em dólares pelo BNDES para projetos renováveis. Além disso, Boa Sorte é uma prova do nosso compromisso de entregar projetos dentro do prazo e do orçamento, contribuindo para o nosso histórico de 100% de taxa de conclusão”, afirma o diretor da Atlas no Brasil, Fábio Bortoluzo.

Instalado em área equivalente a 1.152 estádios do Maracanã, a construção do complexo de Boa Sorte demandou 16.584 toneladas de estruturas metálicas e somou mais de 2 milhões de homens-hora trabalhados. E para otimizar a gestão deste grande projeto, foram adotadas tecnologias que permitiram o gerenciamento integrado em tempo real e a tomada de decisões baseadas em dados pela equipe de produção. Como resultado desta integração entre tecnologia e a expertise do time da Atlas, foi possível antecipar em dois meses a entrada em operação do projeto. 

“Este é um importante marco para os projetos da Hydro REIN no Brasil, considerado um mercado estratégico para a empresa. Este ano, também iniciamos as operações comerciais no Complexo solar de Mendubim e, até o fim de 2024, vamos começar a operar o complexo eólico Vento de São Zacarias. O Brasil é um dos mercados mais empolgantes para energias renováveis do mundo e estamos atentos às oportunidades de crescimento do setor”, afirma a head da Hydro Rein no Brasil, Marcela Jacob.

Compromisso com o desenvolvimento socioambiental

A construção do complexo fotovoltaico Boa Sorte envolveu cerca de dois mil e novecentos trabalhadores, com 14,4% de mulheres, percentual acima da média do setor. Isso reflete os esforços da Atlas em impulsionar uma indústria mais inclusiva e oferecer oportunidades a todas as pessoas do entorno de nossos projetos. 

Por meio do programa “Somos parte da mesma energia”, que capacita mulheres para atuação em posições técnicas nos setores elétricos e de construção, 320 mulheres participaram de cursos profissionalizantes ou de aprimoramento profissional e 72 delas foram contratadas pela Atlas ou por parceiros durante o período de construção, por meio das oportunidades de iniciação profissional exclusiva para moradoras da região. 

Outro exemplo notável de projeto socioambiental desenvolvido no território, é a Oficina Ecoar, em parceria com a produtora JANZ.media e a Fundação Conscientearte. Trata-se de um projeto de formação em cinema documental para pessoas negras de diferentes manifestações culturais de Paracatu, com o objetivo de proporcionar autonomia e independência a quem, historicamente, não teve acesso, condições ou ferramentas para contar suas narrativas. 

Durante o curso, os participantes, que representam cerca de 480 pessoas da comunidade, aprenderam técnicas cinematográficas e, ao final, produzirão 4 mini documentários autorais sobre as manifestações culturais às quais pertencem, que serão exibidos no município em julho de 2024.

Energias renováveis na Albras

O fornecimento de energia é fundamental para a sustentabilidade da cadeia do alumínio no Brasil e a Albras tem olhado para este tema com atenção. Nesse sentido, a Albras, joint-venture entre a Hydro e a NAAC – Nippon Amazon Aluminium Co. Ltd, está investindo para ampliar o uso de fontes de energia solar e eólica nas suas operações e contribuir para o alcance de suas metas de descarbonização. 

“Este é um marco significativo para assegurar a estratégia de longo prazo da Albras de produção de alumínio verde.  Com os investimentos em fontes de energia renováveis, consolidamos nossa estratégia de suprimento de energia de longo prazo, bem como   diversificamos nossa matriz energética e reforçamos o nosso compromisso de fazermos parte da solução para a transição verde. Queremos contribuir para a criação de uma sociedade justa, produzindo com responsabilidade e utilizando energia renovável tal como concebida desde o início das nossas operações”, afirma o CEO da Albras, João Batista Menezes.

Além de Boa Sorte, a empresa fechou contrato com a Atlas Renewable Energy para fornecimento de energia solar, por meio do complexo fotovoltaico Vista Alegre, o maior PPA (Power Purchase Agreement) já assinado na América Latina. Vista Alegre vai garantir à Albras fornecimento de energia sustentável por 21 anos. 

Este conteúdo é protegido por direitos autorais e não pode ser reutilizado. Se você deseja cooperar conosco e gostaria de reutilizar parte de nosso conteúdo, por favor entre em contato com: editors@pv-magazine.com.

Conteúdo popular

Geração solar centralizada aumentou 47,1% em junho
17 julho 2024 As usinas solares tiveram o crescimento proporcional mais expressivo na geração para este mês, na comparação com junho de 2023, com 2.922 MW médios en...