Mercado de Distribuição: com novo CD em Pernambuco, a Renovigi aposta em produtos de marca própria

Renovigi

Share

Há mais de 11 anos no mercado fotovoltaico, com foco em equipamentos para Geração Distribuída (GD), a Renovigi inaugurou em fevereiro de 2023 um novo centro de distribuição (CD) para atender integradores da região Nordeste e desenha um cenário de vendas positivos daqui para a frente. A empresa também aposta no lançamento de inversores híbridos de marca própria para 2024 e oferece a engenharia de aplicação para ajudar os integradores em projetos de maior complexidade.

Acompanhe a quinta parte do especial Mercado de Distribuição da pv magazine, que ouviu as distribuidoras de equipamentos mais lembradas pelos integradores no Estudo de GD da Greener, lançado em fevereiro desse ano.

Novo Centro de Distribuição e módulos com marca própria

Fundada em 2012, em Chapecó, Santa Catarina, onde fica sua matriz, a Renovigi conta com fábricas em Navegantes, também em Santa Catarina, e Louveira, São Paulo, além de um escritório em Campinas, também no interior paulista. Além disso, a empresa tem um escritório na Ásia, que lhe confere uma vantagem competitiva já que pode acompanhar de perto a capacidade produtiva de seus parceiros e as movimentações da indústria fotovoltaica chinesa.

Em fevereiro desse ano, a Renovigi inaugurou seu terceiro Centro de Distribuição de sistemas fotovoltaicos em Jaboatão dos Guararapes, Pernambuco, um complexo fabril que inclui uma unidade montadora de equipamentos.  Com isso, a comercialização dos sistemas vai atender o crescente mercado de energia solar na região Nordeste, que corresponde a cerca de 20% do faturamento da empresa.

Renovigi
Guilherme Costa, Gerente Geral Executivo da Renovigi

Imagem: Renovigi

Outra novidade da Renovigi é a entrada no Brasil de módulos solares fotovoltaicos com marca própria em fevereiro deste ano. “Os equipamentos são produzidos por parceiros fabricantes referência no setor e homologados, cujas produções são inspecionadas pela estrutura própria da Renovigi na China. O primeiro módulo com marca Renovigi foi o monocristalino Reno H-550, com potência de 550 W, eficiência de até 21,3% e garantia de fabricação de 12 anos, com selo de inspeção do Inmetro e garantia nacional. Também temos um módulo de 550 de fabricação nacional, para financiamento do BNDES. A estimativa de produção anual é de aproximadamente 200 mil módulos, o que representa cerca de 100 MW de potência”, conta o Gerente Geral Executivo da Renovigi, Guilherme Costa.

Graças à presença na Ásia e às parcerias estratégicas na região, a Renovigi conta com uma equipe de Pesquisa e Desenvolvimento disponível em tempo integral, em atividade no Brasil e na Ásia simultaneamente, o que melhora o time-to-market e garante a qualidade dos produtos.

Suporte Técnico e equipe especializada

O diferencial da Renovigi é seu suporte técnico, com uma equipe especializada e uma reputação bem estabelecida, chegando a constar no Reclame Aqui como uma das Empresas com Melhor Suporte do Brasil.

Costa explica que “nosso suporte técnico é uma fonte de confiança para o integrador. Estamos falando de uma empresa que estará aqui no futuro, diferente das estrangeiras que podem encerrar as operações no mercado brasileiro diante de alguma adversidade. Estaremos aqui, do lado do cliente, durante toda a garantia dos produtos”.

Engenharia de aplicação para os parceiros

A atuação da Renovigi é focada em projetos de GD, mini e microgeração. Atualmente, um de seus diferenciais é oferecer a engenharia de aplicação. “Digamos que o nosso integrador está com um projeto de uma usina grande, de 3 MW, mas está acostumado com projetos residenciais de até 100 kW. Ele pode recorrer até nós, pois nossa engenharia de aplicação o apoiará em todo esse contexto para que ele viabilize a obra. Assim, podemos construir um pacote de benefícios para o cliente final”, exemplifica o executivo.

Conforme apresentado na Intersolar, a Renovigi está prestes a lançar seu modelo híbrido, seguindo a principal tendência do mercado. Além disso, a distribuidora já oferece carregadores veiculares, e o já mencionado apoio à engenharia de aplicação para projetos robustos.

Aceleração nas vendas e filtragem dos players do setor

Apesar do ano atípico para os fabricantes e distribuidores, especialmente no primeiro semestre de 2023, a Renovigi mantém uma visão otimista. “Já percebemos uma aceleração no segundo semestre, então acreditamos que será bem melhor do que o primeiro, e já estamos vendo isso nos números. Mas, de fato, acreditamos que 2024 será o momento de virada do mercado. O setor passará por uma filtragem, pois não é todo mundo que vai aguentar passar pelo estirão de 2023. Para nós isso é bom, pois somos uma empresa estruturada e sabemos que vamos manter nossa estabilidade diante de uma concorrência mais equilibrada, com players mais nivelados em relação à qualidade e precificação”, acrescenta Costa.

Para o longo prazo, a Renovigi aposta em seu lançamento de produtos híbridos, com uma disponibilidade de estoque prevista para o segundo semestre de 2024.

Renovigi é parte do Grupo Intelbras

A Renovigi é uma das precursoras no mercado de energia solar no Brasil. Desde 2022, a empresa faz parte do Grupo Intelbras, com 47 anos de história, o que atribui uma estrutura robusta para a distribuidora, que conta com mais de 100 colaboradores diretos e indiretos, e mais de cinco mil colaboradores como grupo.

Sendo uma das únicas marcas nacionais do setor com mais de uma década de atuação no segmento de distribuição, a Renovigi tem uma compreensão profunda do histórico de ciclo de vida dos produtos, gerando no integrador a confiança de poder contar com a empresa diante das necessidades.

Este conteúdo é protegido por direitos autorais e não pode ser reutilizado. Se você deseja cooperar conosco e gostaria de reutilizar parte de nosso conteúdo, por favor entre em contato com: editors@pv-magazine.com.

Conteúdo popular

Geração solar centralizada aumentou 47,1% em junho
17 julho 2024 As usinas solares tiveram o crescimento proporcional mais expressivo na geração para este mês, na comparação com junho de 2023, com 2.922 MW médios en...