Agrovoltaicos podem aumentar a qualidade da forragem no semiárido

Share

Da pv magazine Global

Pesquisadores da Universidade Estadual do Colorado, nos Estados Unidos, investigaram o impacto de um sistema agrovoltaico em pastagens semiáridas previamente manejadas para a produção de feno. A equipe investigou, em particular, como as pastagens responderam a diferentes estratégias simuladas de manejo de pastagem dentro da matriz agrovoltaica.

“Este é o primeiro estudo a testar como a quantidade e a qualidade da forragem respondem ao pastejo simulado no clima semiárido do Colorado”, disse o autor correspondente da pesquisa, Matthew Sturchio, à pv magzine. “A capacidade das plantas de rebrotar em diferentes estágios da estação de crescimento, quando as condições ambientais se tornam mais quentes e secas, é importante para determinar as melhores práticas de manejo de pastejo em sistemas agrovoltaicos de pastagens.”

Os cientistas fizeram suas medições no Jack’s Solar Garden (JSG), uma instalação de ensino e pesquisa agrícola, elevada e orientada para o sul com sistemas de rastreamento de eixo único perto de Longmont, Colorado. Eles quantificaram como a época de pastejo altera a produtividade geral e se a qualidade da forragem muda ao longo da estação de crescimento.

A análise considerou a temperatura e a umidade relativa do ar ao longo da estação de crescimento, de maio a setembro de 2022. Esses dados foram então usados para calcular o déficit de pressão de vapor (VPD), que é a diferença entre a quantidade de umidade que está realmente no ar e a quantidade de umidade que o ar poderia reter na saturação.

O objetivo primário foi avaliar como os painéis fotovoltaicos alteraram os padrões de produção de forragem, tecnicamente conhecida como produção primária líquida acima do solo (ANPP), e a qualidade da forragem. “O ANPP em pastagens é um serviço ecossistêmico valioso que é importante para a economia do pastoreio como uso do solo agrícola”, explicaram os acadêmicos, observando que compararam os resultados das pastagens simuladas sem pastagem sob os painéis com uma área de referência não pastoreada sem módulos fotovoltaicos.

As medições mostraram que o sistema agrovoltaico não teve um impacto significativo nos totais de ANPP no final da estação na ausência de atividade de pastejo simulada.

“Mais importante, o recrescimento após o pastoreio simulado levou a ANPP igual ou maior do que em locais não pastejados, em todos os locais de microambiente em toda a matriz”, disse a equipe. “Esta descoberta indica que uma pastagem semiárida de baixa diversidade previamente manejada pode manter a produtividade dentro de uma matriz agrovoltaica e que é improvável que o momento do pastoreio afete fortemente a produtividade anual total.”

De modo geral, os resultados indicaram que a qualidade da forragem em regiões semiáridas pode até ser aumentada mais tarde na estação de crescimento com o pastejo sob painéis solares.

O grupo apresentou suas descobertas no estudo “Matrizes agrovoltaicas podem manter a produtividade dos campos semiáridos e ampliar a sazonalidade da qualidade da forragem“, publicado em Applied Energy.

Outro grupo de pesquisa da Universidade Estadual do Colorado investigou no ano passado como os sistemas agrovoltaicos montados em rastreadores de eixo único afetam a precipitação e a redistribuição de luz em uma instalação de 1,2 MW em  pastagens em Boulder. Esta equipa acredita que a sua compreensão dos efeitos dos sistemas agrovoltaicos de eixo único na redistribuição de chuva e luz e consequentes impactos na produtividade das culturas pode ajudar a restaurar terras degradadas pelo sobrepastoreio, práticas agrícolas e escassez de água.

Este conteúdo é protegido por direitos autorais e não pode ser reutilizado. Se você deseja cooperar conosco e gostaria de reutilizar parte de nosso conteúdo, por favor entre em contato com: editors@pv-magazine.com.

Conteúdo popular

Chamada da Aneel recebe propostas para 19 plantas piloto de hidrogênio que somam 100 MW
19 julho 2024 O valor previsto de investimento, considerando as 24 propostas, incluindo além das plantas a produção de equipamentos, é de R$ 2,7 bilhões, o que repr...