GreenYellow, Enersim e Oeste Solar conectam usina de GD compartilhada em MT

Share

As empresas GreenYellow, Enersim e Oeste Solar, conectaram à rede de distribuição uma usina na cidade de Nova Ubiratã e finalizam uma segunda em Alta Floresta, ambas no Mato Grosso, somando 12,56 MW. Os sistemas são resultado de um acordo entre as empresas celebrado em 2023 e devem gerar 24 GWh de energia limpa anualmente.

As usinas são destinadas a atender consumidores no modelo de solar como um serviço, sem cobrança de taxa de adesão, manutenção ou fidelização. A gestão é feita pela Enersim, empresa do mesmo grupo da Oeste Solar, integradora que calcula ser responsável por aproximadamente 30% da capacidade instalada de geração distribuída na capital. A Enersim faz a gestão de geração de energia compartilhada das fontes fotovoltaica, hídrica e termelétrica, para 10 mil associados.

O diretor do Grupo Oeste Solar e Enersim, Tiago Vianna, enfatiza a importância dos projetos que resultaram da parceria com a GreenYellow. “O grupo tem a expertise para realizar todo processo de implantação de usinas solares, desde a construção até a manutenção na modalidade de geração distribuída (GD), e nestes projetos optou por estabelecer uma parceria com a GreenYellow. Desde 2018 no mercado, a Enersim, empresa gestora de energia – faz a gestão dos créditos da energia gerada. O melhor é que estamos contribuindo para que todos possam ter acesso a uma energia limpa, sustentável, e mais em conta”, afirma Vianna.

Segundo o diretor-presidente da GreenYellow, Marcelo Xavier, a atuação da companhia como player de infraestrutura, que inclui desde a etapa de investimento, passando pela construção, manutenção e operação dos empreendimentos, é chave para o crescimento de novos projetos de geração de energia renovável no Brasil.

“As iniciativas de empresas como a GreenYellow, que trabalham com investimento próprio, representam um importante estímulo ao mercado nacional de energia. A estratégia da GreenYellow nesse sentido é continuar injetando capital no segmento brasileiro ao longo de 2024, com uma previsão de R$ 400 milhões de investimento em 2024”, diz.

A energia gerada pelas usinas tem capacidade de abastecer até 12 mil residências, e a capacidade de evitar a emissão de mais de 900 toneladas de CO2 no Meio Ambiente.

Este conteúdo é protegido por direitos autorais e não pode ser reutilizado. Se você deseja cooperar conosco e gostaria de reutilizar parte de nosso conteúdo, por favor entre em contato com: editors@pv-magazine.com.

Conteúdo popular

Chamada da Aneel recebe propostas para 19 plantas piloto de hidrogênio que somam 100 MW
19 julho 2024 O valor previsto de investimento, considerando as 24 propostas, incluindo além das plantas a produção de equipamentos, é de R$ 2,7 bilhões, o que repr...