MTR Solar fecha parceria com a chinesa Risen

Share

A MTR Solar, distribuidora e fabricantes de equipamentos para usinas solares de 1 a 5 MW, anunciou que fechou uma parceria com a fabricante de módulos Risen, a partir do qual todos os módulos fabricados para a MTR serão produzidos com estrutura de liga de aço de alta resistência. Uma das vantagens é a sustentabilidade na cadeia de suprimentos, já que o aço tem uma pegada de carbono menor, por ser 100% reciclável, reduzindo a emissão de carbono em 6,2 vezes e o consumo de energia em três vezes. Atualmente, a maioria das empresas do mercado solar utiliza módulos com estrutura de alumínio. Os módulos que a MTR Solar está trazendo para o Brasil, como os HYPER-ion (tecnologia HJT), lançamento mundial da Risen, são 31% mais resistentes e tem menos 0,5% de peso do que a estrutura de alumínio.

O aço é o material mais reciclado do planeta, uma matéria-prima que pode ser reciclada infinitamente, sem perda de qualidade. A reciclagem economiza uma quantidade enorme de energia: reciclar aço requer até 85% menos energia do que produzi-lo. A reciclagem de estruturas de metal, portanto, produz um ganho de energia significativo. Menos consumo de energia significa menos emissões de CO2. Atualmente, a reciclagem de produtos de alumínio pós-consumo economiza mais de 90 milhões de toneladas de CO 2 e mais de 100.000 GWh de energia elétrica.

“A MTR está sempre em busca de novidades que trazem mais segurança, eficiência para nossos clientes e que ao mesmo tempo garanta uma menor degradação ao meio ambiente. O setor já tem um viés muito forte de sustentabilidade por se tratar de uma energia limpa com baixa emissão de CO2, o que nos provoca cada vez mais em buscar soluções mais sustentáveis para os projetos de nossos clientes”, ressalta o CEO da MTR Solar, Thiago Rios.

Os módulos na opção de estrutura de liga de aço de alta resistência oferecem alta resistência à corrosão e maior resistência a rasgos e a pressões pontuais nos pontos de fixação do módulo em relação a estruturas de alumínio. Tudo isso se converte em uma baixa emissão de carbono para todo ciclo de vida desse módulo. A Risen fornece ao mercado brasileiro a tecnologia HJT, na qual é líder de mercado desde 2020 fora do Brasil, para que o mercado brasileiro possa usufruir das vantagens dessa tecnologia que consegue baixo custo por kWh com baixa emissão de carbono.

“Em comparação com a armação de metal convencional, a armação de liga de aço dos módulos da Risen possui resistência excepcionalmente alta com a capacidade de resistência ao rasgo do material de aço aumentada em 20%. O desempenho aliado com maior durabilidade dos módulos e um produto mais sustentável é um compromisso que a MTR sempre busca tanto para nossos clientes como para a sociedade”, explica Thiago Rios.

A MTR Solar já comercializou no primeiro semestre de 2023 mais de 750 MW em equipamentos solares, um crescimento de 45% em relação ao mesmo período do ano anterior. A meta da empresa para 2023 é de gerar negócios que cheguem a 1,5 GW em equipamentos com foco em atender todas as especificações do projeto da usina solar: módulos, inversores, estrutura fixa, tracker, skid de média tensão e cabos de energia. Ao todo, a empresa já entregou equipamentos para 1 GWp de 300 usinas com mais de 1,8 milhões de módulos instalados.

Este conteúdo é protegido por direitos autorais e não pode ser reutilizado. Se você deseja cooperar conosco e gostaria de reutilizar parte de nosso conteúdo, por favor entre em contato com: editors@pv-magazine.com.

Conteúdo popular

Geração solar centralizada aumentou 47,1% em junho
17 julho 2024 As usinas solares tiveram o crescimento proporcional mais expressivo na geração para este mês, na comparação com junho de 2023, com 2.922 MW médios en...