Enecoat e Toyota desenvolvem células solares de perovskita para aplicações integradas a veículos

Share

Da pv magazine Global

A EneCoat Technologies, uma spinoff de tecnologia fotovoltaica da Universidade de Kyoto, e a Toyota Motor anunciaram que se unirão no desenvolvimento de células solares de perovskita para aplicações em sistemas fotovoltaicos integrados a veículos (VIPV).

“As duas empresas continuarão a promover o desenvolvimento de aplicações práticas integrando as tecnologias elementares da EneCoat para células solares de perovskita e as tecnologias veiculares da Toyota para painéis solares, com o objetivo de promover a autossuficiência em energia renovável e contribuir para a obtenção de neutralidade de carbono”, disseram as duas empresas em comunicado.

A EneCoat disse que a Toyota usará as células que desenvolve e produz com uma tecnologia de deposição proprietária que permitiu a produção de um módulo de perovskita com eficiência de 19,4% a partir de março de 2023.

“Usando um processo de revestimento de baixa temperatura, é possível criar um filme ultrafino altamente uniforme, conforme mostrado na figura”, disse a empresa. “Aproveitando o processo úmido que torna superfícies de grandes áreas adequadas para produção em massa, planejamos avançar com a produção roll-to-roll, que pode ser adaptada à aplicação e à escala no futuro”.

Em abril de 2022, a NGK Insulators, uma especialista japonesa em armazenamento conectado à rede, adquiriu uma participação não especificada na EneCoat. A Green Science Alliance, com sede no Japão, especializada no desenvolvimento de materiais de eletrodos para células solares, também investiu uma quantia não especificada na Enecoat em junho.

A Toyota disse em março que havia selecionado a fabricante solar japonesa Kaneka como fornecedora para a implantação de células solares em um de seus veículos elétricos. As células solares da Kaneka são reconhecidas há anos como o dispositivo fotovoltaico de silício cristalino mais eficiente desenvolvido tanto na indústria quanto em  nível de pesquisa.

No entanto, o fabricante chinês Longi disse em novembro passado que atingiu uma eficiência de conversão de energia de 26,81% com uma célula solar de heterojunção não especificada (HJT), baseada em um wafer de silício em tamanho real, em produção de massa.

Este conteúdo é protegido por direitos autorais e não pode ser reutilizado. Se você deseja cooperar conosco e gostaria de reutilizar parte de nosso conteúdo, por favor entre em contato com: editors@pv-magazine.com.

Conteúdo popular

Geração solar centralizada aumentou 47,1% em junho
17 julho 2024 As usinas solares tiveram o crescimento proporcional mais expressivo na geração para este mês, na comparação com junho de 2023, com 2.922 MW médios en...