Venda de veículos elétricos cresce 78% no país até novembro de 2023

Share

A venda de veículos elétricos vivenciou um aumento expressivo em 2023, de acordo com dados da Associação Nacional dos Fabricantes de Veículos Automotores (ANFAVEA), um aumento de 78% quando comparado com o ano anterior. Mesmo com elevação da tarifa de importação sobre veículos elétricos ou híbridos, a partir de 1º de janeiro, o mercado segue otimista com a o avanço da eletromobilidade e com do Programa Mover (Programa Mobilidade Verde e Inovação), anunciado pelo governo no último sábado (30/12) que devem aumentar os investimentos em inovação.

Com dados compilados pela ANFAVEA até novembro de 2023, a adoção de veículos elétricos no país cresceu 78% no ano passado, pulando de 7.542 unidades vendidas de janeiro até novembro de 2022 para 13.262 veículos eletrificados em igual período de 2023.

Novembro registrou recorde de vendas de carros elétricos no Brasil com 340% de crescimento quando comparado com o mesmo período de 2022, quando apenas 727 veículos da categoria foram comercializados. Em relação a outubro, a alta é de 35%, de acordo com dados da Associação Brasileira do Veículo Elétrico (ABVE).

Os veículos híbridos registraram o mesmo percentual de crescimento, 78% e saltaram de 36.133 unidades comercializadas no Brasil de janeiro até novembro de 2022 para 64.377 em igual período em 2023.

Fim da isenção de impostos

Os caminhos apontados pela 28ª Conferência das Nações Unidas sobre Mudanças Climáticas (COP28), que aconteceu em Dubai, nos Emirados Árabes Unidos, em novembro do ano passado, não deixam dúvidas: o mundo precisará desacelerar o consumo de combustíveis fósseis e essa decarbonização passa pela ampliação da eletromobilidade, que está em franca expansão no país

Mesmo com a eletrificação da frota de veículos em expansão no país, o governo decidiu elevar a tarifa de importação sobre veículos elétricos ou híbridos e criar cotas para que um volume reduzido de carros com essa nova tecnologia possa continuar entrando no país com alíquota zero a fim de estimular a produção nacional.

Para este ano, os carros elétricos ou híbridos trazidos do exterior pagarão tarifas entre 10% e 12%. As alíquotas vão subir, ano a ano, até atingir 35% em 2026. A decisão foi anunciada oficialmente no dia 10 de dezembro em reunião do comitê executivo da Câmara de Comércio Exterior (Camex).

Com isso, reverte-se uma política de tarifa zero para elétricos adotada desde 2015. Segundo fontes do governo, caso fosse aplicada uma alíquota de 35% (máxima permitida pelo Mercosul), o país teria arrecadado R$ 1,2 bilhão de janeiro a agosto deste ano. As porcentagens da retomada progressiva de tributação variarão conforme os níveis de eletrificação e com os processos de produção de cada modelo, além da produção nacional.

Programa MOVER

No último sábado, 30/12, o governo federal assinou duas medidas de incentivos fiscais para a indústria automotiva que tendem a atrair investimentos em inovação no país, estimulando, consequentemente, o desenvolvimento de veículos híbridos e elétricos no país, de acordo com a Associação Brasileira do Veículo Elétrico (ABVE).

Um dos documentos é a Medida Provisória 1205, que institui o Mover (Programa Mobilidade Verde e Inovação), a aguardada nova política automotiva que substituirá o Rota 2030. Outra iniciativa é o texto de um Projeto de Lei que cria um programa de “depreciação acelerada” do parque industrial brasileiro, visando incentivar a sua renovação tecnológica.

Este conteúdo é protegido por direitos autorais e não pode ser reutilizado. Se você deseja cooperar conosco e gostaria de reutilizar parte de nosso conteúdo, por favor entre em contato com: editors@pv-magazine.com.