Caribe pode se tornar gigante solar fotovoltaico flutuante offshore, diz pesquisador

Share

Da pv magazine Global

Christian Breyer, professor de economia solar na Universidade LUT, com sede na Finlândia, disse à pv magazine que se os 13 países do Caribe aproveitassem as oportunidades certas, a região poderia tornar-se um “centro global” para a geração de energia solar fotovoltaica flutuante offshore.

“Os sistemas fotovoltaicos baseados em terra serão desenvolvidos primeiro. No entanto, a procura substancial de eletricidade pode levar a limitações na disponibilidade de terrenos, que podem ser superadas pela energia fotovoltaica flutuante offshore”, disse ele.

Breyer foi recentemente coautor de um artigo que explora o potencial da energia solar fotovoltaica na cadeia de ilhas do Caribe. O artigo investiga vários métodos de geração de energia renovável, com foco especial na eficácia e no custo nivelado de eletricidade (LCOE) de painéis fotovoltaicos flutuantes offshore em Porto Rico.

Porto Rico, um território norte-americano que consome quase 70 vezes mais energia do que produz, pretende abastecer a sua rede eléctrica afectada pelo furacão apenas com energia renovável até 2050.

De acordo com a investigação, contudo, tanto a região das Caraíbas como a ilha de Porto Rico estão atrasadas em termos de capacidades de energia renovável. Porto Rico registrou 841 MW de capacidade total instalada de energia renovável em 2022, sendo 639 MW de energia solar fotovoltaica, de acordo com os dados mais recentes publicados pela Agência Internacional de Energia Renovável (IRENA).

O documento postula que, como o Caribe tem terras disponíveis limitadas, a energia fotovoltaica flutuante offshore deve ser considerada. Depois de examinar vários cenários de geração de energia renovável, o documento afirma: “Os resultados para Porto Rico indicam claramente os enormes benefícios de se atingir 100% de energia renovável, uma vez que o custo nivelado da eletricidade (LCOE) pode ser reduzido de mais de 10o euros (106,2 dólares). /MWh em 2020 para €47,4 MW/h em 2050.

“A fonte dominante de energia para o fornecimento de eletricidade e todo o sistema energético é a energia solar fotovoltaica, com 80% e 91% da participação no fornecimento em Porto Rico e no Caribe, respectivamente”, disseram os pesquisadores no artigo. “Quando a disponibilidade limitada de terrenos offshore é aplicada, uma parte substancial de toda a geração fotovoltaica pode ser fornecida por energia fotovoltaica flutuante offshore, com custos extras mínimos.”

Quando questionado sobre a viabilidade da energia solar fotovoltaica flutuante na região, ele disse que a energia solar fotovoltaica flutuante onshore é “padrão”, enquanto painéis solares fotovoltaicos flutuantes offshore foram desenvolvidos em “várias regiões ao redor do mundo”.

A Sociedade Internacional de Energia Solar previu que as regiões que não registam ondas maiores que 6 m ou ventos mais fortes que 15 m/s poderiam gerar até um milhão de TWh por ano através de painéis fotovoltaicos flutuantes offshore.

Os projetos flutuantes de energia solar fotovoltaica onshore e offshore, no entanto, apresentam seus próprios desafios tecnológicos.

“As condições especiais no Caribe com risco de furacão exigem consideração especial de regiões com melhor proteção natural contra tempestades”, disse Breyer. “Eu presumo que deveriam ser utilizadas estruturas mais fortes, enquanto as áreas mais protegidas serão o aspecto mais importante. Os sistemas fotovoltaicos onshore também devem ser à prova de furacões, portanto, isso pode ser semelhante aos sistemas fotovoltaicos flutuantes offshore.

Na última década, registaram-se 20 furacões e tempestades tropicais que atingiram Porto Rico. Quando o furacão Maria atingiu a ilha em 2017, a rede eléctrica demorou quase 11 meses a recuperar – tornando-se no apagão mais longo da história da América do Norte.

O artigo, intitulado “Papel da energia solar fotovoltaica para o sistema de energia sustentável em Porto Rico no contexto de todo o Caribe, apresentando o valor dos sistemas flutuantes offshore”, foi publicado no IEEE Journal of Photovoltaics.

Este conteúdo é protegido por direitos autorais e não pode ser reutilizado. Se você deseja cooperar conosco e gostaria de reutilizar parte de nosso conteúdo, por favor entre em contato com: editors@pv-magazine.com.

Conteúdo popular

Chamada da Aneel recebe propostas para 19 plantas piloto de hidrogênio que somam 100 MW
19 julho 2024 O valor previsto de investimento, considerando as 24 propostas, incluindo além das plantas a produção de equipamentos, é de R$ 2,7 bilhões, o que repr...