BNDES assina acordos de R$ 9,1 bilhões para investimentos sustentáveis com bancos chineses

Share

O Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) celebrou contratos e cartas de intenção com o China Development Bank (CDB) e com o Asian Infrastructure Investment Bank (AIIB) no valor total de R$ 9,1 bilhões, para o financiamento de projetos sustentáveis. Os acordos fazem parte da missão do governo federal na China.

Com o CDB, o BNDES assinou um contrato de empréstimo de longo prazo, no valor de até US$ 800 milhões (aproximadamente R$ 4,2 bilhões), com prazo de dez anos, e três de carência, para financiar projetos de infraestrutura e indústria no Brasil, nas áreas de energia elétrica, manufatura, agricultura, mineração, água, mudança climática e desenvolvimento verde. O banco também assinou um termo de compromisso com o CDB para avaliação de linha de crédito de curto prazo, no valor de até CNY 5 bilhões, o equivalente a R$ 3,6 bilhões, com prazo de três anos e como apoio às ações de investimentos do BNDES.

Durante a visita da delegação brasileira ao AIIB, o BNDES promoveu dialogo sobre como acelerar e escalar as ações contra o aquecimento global. A carta de intenções assinada entre os dois bancos permitirá o aprofundamento da cooperação no desenvolvimento sustentável, com o potencial de investimentos da ordem de US$ 250 milhões (aproximadamente R$ 1,3 bilhão) em energias renováveis, logística e mobilidade urbana sustentável, entre outros.

Para o diretor de Planejamento e Relações Institucionais do Banco, Nelson Barbosa, que representou a instituição em Pequim para assinatura dos documentos, os acordos assinados são fundamentais para impulsionar setores estratégicos da economia brasileira, além de estreitar as relações com as instituições. “Além disso, a parceria com o CDB fortalece a capacidade de financiamento do Banco para projetos que beneficiarão a população brasileira”, disse ele. Já a parceria com o AIIB, explicou Barbosa, será importante para a troca de conhecimento e a ampliação das oportunidades que vão ajudar o Brasil e o mundo a terem economia mais verde.

“Esses acordos serão importantes para avançarmos em setores estratégicos, reafirmando nosso compromisso com o desenvolvimento sustentável e a inovação. O fortalecimento dessa parceria impulsionará nossa capacidade de competir globalmente”, disse o vice-presidente da República e ministro do Desenvolvimento, Indústria, Comércio e Serviços (MDIC), Geraldo Alckmin.

Este conteúdo é protegido por direitos autorais e não pode ser reutilizado. Se você deseja cooperar conosco e gostaria de reutilizar parte de nosso conteúdo, por favor entre em contato com: editors@pv-magazine.com.