Estados americanos encaram o desafio de modernização da rede

Share

Da pv magazine Global

A  US Federal-State Modern Grid Deployment Initiative já garantiu compromissos de 21 estados dos EUA. O programa visa reunir estados, entes federais e partes interessadas do setor de energia para ajudar a modernizar a rede elétrica dos EUA, a fim de responder aos desafios e oportunidades que o setor enfrentará nos próximos anos.

Os 21 estados são Arizona, Califórnia, Colorado, Connecticut, Delaware, Havaí, Illinois, Kentucky, Maine, Maryland, Massachusetts, Michigan, Nova Jersey, Novo México, Nova York, Carolina do Norte, Oregon, Pensilvânia, Rhode Island, Washington e Wisconsin.

Esses estados se comprometeram a priorizar os esforços para adotar novas soluções para expandir a capacidade da rede e construir redes modernas em linhas de transmissão e distribuição novas e existentes.

“A competitividade econômica americana globalmente depende do acesso a energia confiável e de baixo custo. A Iniciativa de Implantação de Rede Moderna Federal-Estadual, anunciada hoje já apoiada por 21 estados, é um progresso significativo em direção ao sistema de transmissão atualizado e melhor conectado que está no centro da visão da Iniciativa Macro Grid da ACORE”, disse Ray Long, presidente e CEO do Conselho Americano de Energia Renovável (ACORE). “Este anúncio se baseia no compromisso louvável  de atualizar 100.000 milhas de linhas de transmissão existentes, utilizando parcerias público-privadas para implantar tecnologias prontamente disponíveis, como tecnologias de aprimoramento de rede e condutores de alto desempenho”.

A rede elétrica dos EUA foi construída nas décadas de 1960 e 1970. A rede envelhecida está lutando para lidar com eventos climáticos extremos causados pelas mudanças no clima, bem como a energia renovável necessária para cumprir as metas energéticas nacionais. De acordo com o Departamento de Energia dos EUA, 70% das linhas de transmissão têm mais de 25 anos e se aproximam do fim de seu ciclo de vida típico.

No passado, a expansão da capacidade da rede elétrica dos EUA dependia da construção de novas linhas de transmissão com tecnologias que não mudaram desde meados do século 20. No entanto, as novas tecnologias de rede modernas de hoje, como condutores de alto desempenho e tecnologias de aprimoramento de rede, permitem o dobro ou mais da quantidade de energia do que é manipulada nas linhas de transmissão atuais. A rede pode ser atualizada rapidamente e de forma econômica em comparação com a construção de novas linhas de transmissão.

Os Estados podem receber assistência técnica e analítica da Aliança Climática dos EUA. Em conjunto, o Departamento de Energia dos EUA (DoE) conta muitos programas de assistência técnica que visam apoiar a análise para concessionárias de serviços públicos, formuladores de políticas, reguladores, escritórios estaduais de energia e outras partes interessadas.

O financiamento para ajudar os estados a implantar tecnologias avançadas de rede é possível por meio da Lei de Redução da Inflação dos EUA (IRA) e da Lei de Infraestrutura Bipartidária (BIL). Por exemplo, o Escritório de Implantação de Grade do DoE está administrando US$ 10,5 bilhões em financiamento de subvenção competitiva por meio do Grid Resilience and Innovation Partnerships (GRIP) Program.

O Escritório de Programas de Empréstimos do DoE tem US$ 250 bilhões de autoridade de garantia de empréstimo para fornecer financiamento a juros baixos para projetos que atualizam a infraestrutura de energia existente, com orientação do programa que destaca a recondução como um exemplo de projeto qualificado. O programa Empowering Rural America (New ERA) do Departamento de Agricultura  fornece US$ 9,7 bilhões em empréstimos ou doações a juros baixos e representa o maior investimento em eletrificação rural desde 1936, com elegibilidade para atualizações do sistema de transmissão.

O financiamento também está disponível por meio do programa Grid Resilience and Innovation Partnership (GRIP), que recentemente fechou as inscrições para até US$ 2,7 bilhões em financiamento de subvenção do DoE em uma segunda rodada. A intenção do programa é financiar projetos que melhorem e modernizem o sistema de transmissão e distribuição para aumentar a confiabilidade e resiliência, preparar a rede para condições climáticas extremas, bem como garantir o fornecimento de eletricidade limpa e acessível a todas as comunidades em todo o país.

As tecnologias de melhoria de rede (GETs) foram citadas por um estudo de RMI por potencialmente economizar centenas de milhões de dólares em custos de interconexão dos desenvolvedores de projetos em comparação com atualizações de rede padrão. Ele disse que a economia em nível de projeto “pode ser a diferença” que permite que os desenvolvedores criem projetos em vez de sair da fila. O estudo observa que os GETs também podem ser instalados mais rapidamente do que outras atualizações de rede.

A Comissão Federal de Regulamentação de Energia dos EUA (FERC) emitiu recentemente uma regra final sobre Planejamento de Transmissão Regional e Alocação de Custos, Ordem 1920, que adota requisitos para como os provedores de transmissão devem conduzir o planejamento de longo prazo para instalações de transmissão regionais, considerar o uso de condutores avançados e Tecnologias de Melhoria de Rede.

A Associação das Indústrias de Energia Solar (SEIA) tem estado envolvida com este processo de regulamentação nos últimos dois anos, defendendo reformas no processo de planejamento de transmissão para dar conta de todos os benefícios que a energia limpa oferece.

“Estamos satisfeitos que a FERC tenha tomado várias medidas para melhorar o sistema de transmissão desatualizado da América, incluindo seguir as recomendações da SEIA, exigindo que os provedores de transmissão se envolvam em planejamento regional de longo prazo”, relatou a  diretora sênior de mercados de energia e conselheira da SEIA, Melissa Alfano.

Este conteúdo é protegido por direitos autorais e não pode ser reutilizado. Se você deseja cooperar conosco e gostaria de reutilizar parte de nosso conteúdo, por favor entre em contato com: editors@pv-magazine.com.