MME prepara plano para produção de lítio no Brasil

Share

O ministro de Minas e Energia, Alexandre Silveira, recebeu nesta quarta-feira (2/8) a CEO da mineradora Sigma Lithium, Ana Cabral-Gardner para discutir projetos de extração do lítio no Vale do Jequitinhonha, em Minas Gerais, uma das regiões com maior potencial para produção do mineral. O MME está elaborando um programa multisetorial e voltado para a região, com o intuito de explorar as oportunidades do mineral na transição energética e para o desenvolvimento regional. Geração de emprego e renda para a população e desenvolvimento social também fazem parte do programa.

O lítio é uma das matérias-primas para a produção de baterias e o Brasil é o sétimo maior detentor de reservas do mineral no mundo, com 1,23 milhão de toneladas, e o quinto maior produtor mundial do minério.

O ministro destacou que a mineração de lítio na região do Vale do Jequitinhonha é uma oportunidade única de inserção do Brasil como player de nível mundial na produção desse mineral essencial para a transição energética.

“O Brasil tem um solo fértil de oportunidades e o nosso Jequitinhonha tem mostrado isso, chamando a atenção do mundo inteiro com o lítio, principalmente o verde. Na última semana, no G20, pudemos fortalecer as relações e o protagonismo do Brasil, sob a liderança do presidente Lula, na relação dos países do sul global com os países desenvolvidos. Sabemos que os minerais críticos serão fundamentais para a transição energética, então temos que trabalhar em cima destes potenciais brasileiros conciliando políticas públicas que tragam retornos sociais importantes para a nossa sociedade e que garantam a sustentabilidade”, disse o ministro Alexandre Silveira, que reforçou o fato de a atividade só ser positiva se gerar melhoria na vida da população dos diversos municípios que integram a região.

Nesse sentido, o programa multisetorial específico para a região do Vale, ultrapassa a questão da mineração. O objetivo é que seja um instrumento de desenvolvimento regional, em que o Governo Federal oferece políticas públicas de melhoria de infraestrutura (rodoviária e ferroviária), educação e capacitação profissional, além de levar à população local todos os programas sociais oferecidos pela União.

A Sigma reúne as atividades entre os municípios de Itinga e Araçuaí e, de acordo com a companhia, são gerados 1 mil empregos diretos e 13 mil indiretos. A primeira carga de lítio verde do mundo foi despachada pela empresa na última semana, a partir do Porto de Vitória, no Espírito Santo. O mineral extraído no Vale do Jequitinhonha tem o padrão triplo zero, sem carbono, rejeitos e químicos nocivos. o carregamento foi destinado à China, que o transformará em baterias a serem exportadas.

A primeira remessa teve 15 mil toneladas de lítio verde triplo zero e outras 15 mil toneladas de subprodutos ultrafinos de alta pureza. Até o fm de 2023, estima-se que a exportação será de cerca de 130 mil toneladas. O trabalho na região gera 1 mil empregos diretos e outros 13 mil indiretos, segundo a empresa.

O Brasil está entre os com maior potencial de extração de lítio do mundo, incluindo Chile, Argentina, Estados Unidos, Canadá e Austrália. O lítio brasileiro, por sua vez, oferece diferenciais competitivos que otimizam investimentos. A alta pureza que facilita a fabricação de baterias mais potentes, presentes no Vale do Jequitinhonha, não é encontrada na maioria dos outros países.

A arrecadação das empresas instaladas no Vale do Jequitinhonha, em menos de sete meses, está perto de igualar valor total de 2022. O minério também está subindo em participação entre as substâncias extraídas em terras mineiras.

De 1° de janeiro até 25 de julho de 2023, a extração de lítio em Minas Gerais atingiu o valor de comercialização de R$ 1.445.852.963,28. Isso significa que a marca de R$ 1.456.198.719,52, alcançada em 2022, tem previsão de ser ultrapassada em breve. Comparativamente, o comércio do mineral alcançou R$ 271.600.052,86 no ano de 2021. O setor cresceu 436,16% entre 2021 e 2022.

Entre os minerais extraídos em Minas Gerais, o lítio passou do 11° lugar em faturamento para 3° colocado, entre 2021 a 2023. Os primeiros são os minérios de ferro e de ouro.

Este conteúdo é protegido por direitos autorais e não pode ser reutilizado. Se você deseja cooperar conosco e gostaria de reutilizar parte de nosso conteúdo, por favor entre em contato com: editors@pv-magazine.com.